Blog de Negociação

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

5
(2)

A Negociação como ferramenta eficaz para os advogados

Tradicionalmente as pessoas tendem a acreditar que negociação é sinônimo de transação comercial. Antes de tudo faz-se necessário esclarecer que a todo tempo e o tempo todo estamos negociando, quer nas nossas relações interpessoais, no ambiente familiar, quer no trabalho, quer em outros espaços.A habilidade de negociação está entre as dez habilidades desejáveis para o profissional moderno, segundo destacou o Fórum Econômico Mundial. Trata-se de importante habilidade que está intimamente ligada à comunicação, isso porque, para que a negociação seja exitosa faz-se necessário se comunicar de forma eficaz, de forma clara, objetiva e de forma colaborativa.

Nesse sentido, o Advogado deve se apropriar de competências e habilidades como resolução de problemas complexos, pensamento crítico, inteligência emocional e negociação para o exercício do seu mister profissional.

Isso porque a sociedade está cada vez mais “líquida e fluída”, de sorte que o Advogados e demais profissionais devem estar preparados para lidar com as incertezas e complexidade das relações, fala-se, inclusive, em Advocacia 5.0, a qual procurar equalizar a relação entre o homem e a tecnologia. A Advocacia tem se reinventado, sobretudo no trato com as pessoas, com a humanização do processo, com a busca dos reais interesses e necessidades das partes.

Em tempos de inteligência artificial é preciso reafirmar que não basta somente o Advogado conhecer a lei, até mesmo porque softwares podem confeccionar petições e fazer pesquisas em frações de segundos. É preciso ir além, acolher as partes, compreender as relações das pessoas a partir de uma visão sistêmica.

Destacamos, ainda, que um dos principais desafios da prática jurídica é superar a cultura da judicialização, que coloca a via estatal como via primária de resolução de conflitos, para a cultura da gestão compartilhada em que tem-se múltiplas formas de resolução de conflitos que não somente o Judiciário. Os operadores do Direito precisam se familiarizar com a ideia da gestão adequada de conflitos na escolha do método ou técnica mais adequada e que atenda às particularidades do caso concreto.

Nesta senda, métodos como a negociação devem ser estimulados. O Advogado, nesse particular, deixa de ser um ajuizador de processos para ser um gestor de conflitos, um construtor, através de um processo criativo. Neste propósito passaremos a tratar da negociação como ferramenta eficaz para os advogados.

Nas palavras de Fischer, Ury e Patton Fischer, Ury e Patto “A negociação é uma comunicação bilateral concebida para chegar a um acordo quando você e o outro tem interesses comuns e outros opostos”. A negociação, repita-se, está inserida no cotidiano de qualquer pessoa, de sorte que assim também o é na relação aos operadores do Direito, especialmente dos advogados. Os advogados em seu mister profissional trabalham com gerenciamento de
conflitos, assim sendo, os advogados fazem uso da negociação cotidianamente, assessorando seus clientes na busca da satisfação de interesses e necessidades.

Geralmente as partes em situação conflitiva não conseguem dialogar por problemas relacionados à comunicação, ocasionado pela falta do diálogo ou por ruídos na comunicação. Quando há a possibilidade de diálogo entre as partes é possível fazer uma negociação direta entre estas ou uma negociação assistida, neste último caso o advogado realizará a tarefa de assessorar as partes na busca da obtenção de um acordo.

A negociação assistida tem sido bastante utilizada notadamente quando se fala em Advocacia Resolutiva. Neste modelo de Advocacia o Advogado figura como um construtor, auxiliando as partes a buscarem soluções de benefícios mútuos. Nesse particular, o Advogado ajuda as partes a enxergarem o conflito a partir de um viés positivo, enquanto oportunidade e não estagnação.

A Advocacia Resolutiva, desta forma, propõe-se a identificar os reais interesses envolvidos, através da análise da gestão de riscos, além de oferecer ferramentas de comunicação e negociação para as partes a fim de que estas façam suas escolhas de forma consciente e segura, ou seja, com a clareza esperada, com as emoções administradas. Nesse sentir, o Advogado tem a lei como um balizador, porém, sua atuação não se restringe à exegese da lei.

Através do estudo da negociação o Advogado tem a possibilidade de desenvolver seu mister profissional de diferentes formas, conforme os interesses em jogo, levando em consideração fatores como o relacionamento, o tempo, dentre outros, podendo atuar desde uma orientação competitiva em que busca-se maximizar os ganhos e minimizar as concessões, passando por uma uma orientação integrativa em que procura-se integrar os interesses das partes e até mesmo uma orientação criativa, a qual estimula-se soluções inovadoras, “busca encontrar oportunidades ocultas em situações de conflito, crises e desafios” (BILLIKOFf,2003).

Por todo o exposto, depreende-se que a negociação afigura-se como uma ferramenta eficaz no desempenho da prática advocatícia, sobretudo considerando que o perfil do advogado tem sido reformulado com vistas a se adaptar a um mundo cada vez mais dinâmico, exigindo que seu atuar seja pautado a partir de valores e princípios como a criatividade, a colaboração e a autorresponsabilidade.

Qual a probabilidade de você recomendar esta atividade?

Deixe sua avaliação!

Classificação média 5 / 5. Contagem de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar esse coteúdo.

Você gostou deste conteúdo?

Compartilhe-o com seus amigos!

Que pena que não gostou do conteúdo!

Deixe-nos melhorá-lo!

O que podemos melhorar para deixar você feliz?

CATEGORIAS

Pesquise por Categoria

PRÓXIMOS EVENTOS

ÚLTIMOS ARTIGOS

Inscrever-me
Notifique-me
0 Comentários
0
Seu comentário é muito importante.x
()
x

Usamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência possível em nosso website. Se continuar a navegar pelo Clube de Negociadores entenderemos que você está de acordo com seu uso.